A massagem como programa de bem-estar

 

Três condições essenciais

massagem de recuperaçãoA prática da massagem, quando realizada regularmente, pode configurar um verdadeiro “programa de bem-estar”. Principalmente se for feita por um terapeuta que reúna três condições essenciais: ter formação específica e conhecimentos de anatomia, ter uma prática alargada e ser dotado de intuição e talento.

Este é o caso do osteopata Armando Faria que, para além das consultas de Osteopatia que disponibiliza no seu consultório, oferece também sessões de massagem em que combina várias técnicas e orientações de acordo com o estado geral do cliente no momento.

Uma pausa para o reequilíbrio na vida do dia-a-dia

O terapeuta explica-nos que “num cenário profissional em que uma pessoa está sujeita a níveis elevados de stress ou que implique posturas corporais inadequadas mantidas por largos períodos de tempo, a realização de uma massagem depois de uma semana de trabalho revela-se um excelente pontapé de saída para o fim-de-semana. Os efeitos são holísticos.” – ou seja, produzem-se de forma integrada na pessoa como um todo, física e psicologicamente. “É como de uma recarga de bem-estar se tratasse.” – remata.

Um complemento essencial no desporto

ESTE É O ALT TEXTMas nem só neste contexto a prática de massagem regular se revela útil. Armando Faria salienta ainda uma vertente mais específica e não menos importante – “um desportista profissional pode beneficiar com um programa de massagem regular em que para além de promover a homeostase, contribuindo para um reequilíbrio interno e para um aumento da resposta adaptativa ao exercício físico, permite intervir atempadamente de forma terapêutica sobre eventuais traumatismos num leque alargado de etiologias e intensidades.”

E acrescenta – “mesmo alguém que pratique exercício físico de manutenção obtém os mesmos benefícios de um programa de massagem regular. O contexto pode ser diferente mas o objectivo é o mesmo.”

Um espaço de conforto e reencontro consigo próprio na terceira idade

“A população com mais idade” – refere o osteopata – “beneficia muito da prática de massagem regular. O cliente idoso apresenta frequentemente perda de mobilidade associada a situações de dor crónica.” Explica-nos que “o alívio da dor e a consequente melhoria da mobilidade contribuem não só para um aumento do bem-estar físico como também para uma aquisição de autonomia e de autoconfiança. É fundamental não perder de vista estas duas linhas orientadoras.”

Armando Faria acrescenta ainda que nestas idades “há um tempo e um ritmo próprio a respeitar” e que um programa regular de massagem permite criar “um espaço de entendimento e confiança mútua, muito importante na preservação do sentimento de individualidade, privacidade e da qualidade de vida do idoso. É uma população em que o atributo holístico da massagem terapêutica tem especial expressão. Trata-se de um grupo etário a que temos de dedicar especial atenção.”

Como se desenrola o programa?

Na primeira sessão o terapeuta conversa connosco sob aspectos gerais como hábitos de vida, profissão, exercício físico e ainda sobre a existências de patologias. Com seu olhar treinado confirma a postura, eventuais desalinhamentos músculo-esqueléticos ou queixas concretas.

A massagem decorre com uma intensidade adaptada ao nosso estado e às nossas preferências. O conhecimento da anatomia humana leva o terapeuta a trabalhar certas zonas do corpo com precisão em movimentos que vão desde o friccionar, alongar, rodar, pressionar, até toques suaves e aliviadores de tensão. A sua prática e formação específica permite-lhe aplicar técnicas osteopáticas, sempre que se revelem necessárias, com grandes resultados, de uma forma totalmente integrada na massagem. A intuição e talento sente-se na precisão do toque, no doseamento irrepreensível da intensidade, no tempo de atenção a determinadas áreas, tudo factores perfeitamente adaptados à pessoa que tem à frente e naquele momento. A sensação é a de recuperação e de grande conforto.

À medida que as sessões progridem o terapeuta vai conhecendo-nos cada vez melhor e detecta que hoje estamos mais aflitos do ombro direito, de uma contractura na zona lombar, ou simplesmente da tensão acumulada na semana com aquele projecto que teimou em não avançar como desejávamos.

Na realidade, depois de iniciarmos o nosso programa regular de massagem este vai-se revelando uma verdadeira “recarga de bem-estar” da qual já não prescindimos.

Preços:

40 € uma sessão
90 € três sessões a realizar em um mês
A duração é de uma hora aproximadamente.

Armando Faria é Osteopata, formado pelo Instituto Kiros de Sevilha.
Tem consultório em Lisboa, na Av. Almirante Reis, 247, 2º Esq. (junto à praça do Areeiro).
Contacto: 217 959 168

Outros artigos relacionados: Massagem. Terapêutica? Em que sentido?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: